Navegação por assunto "x-ray diffraction"

Classificar por: Ordenar: Resultados:

  • IPEN-DOC 11863

    GARCIA, R.H.L. ; USSUI, V. ; LIMA, N.B. ; LAZAR, D.R.R. . 3YTZP-Alsub(2)Osub(3) powders synthetized by the coprecipitation route. Materials Science Forum, v. 530-531, p. p. 677-682, 2006.

    Palavras-Chave: aluminium oxides; zirconium oxides; ceramics; hardness; powders; synthesis; coprecipitation; x-ray diffraction

  • IPEN-DOC 20255

    CRISAFULLI, R.; ANTONIASSI, R.M. ; OLIVEIRA NETO, A. ; SPINACE, E.V. . Acid-treated PtSn/C and PtSnCu/C electrocatalysts for ethanol electro-oxidation. International Journal of Hydrogen Energy, v. 39, n. 11, p. 5671-5677, 2014.

    Palavras-Chave: borohydrides; carbon; copper; dissolution; electrocatalysts; ethanol; fuel cells; oxidation; platinum; reduction; tin; transmission electron microscopy; x-ray diffraction; nitric acid; voltametry; chemical analysis

  • IPEN-DOC 15580

    CARVALHO, TEREZINHA E.M. de . Adsorcao de corantes anionicos de solucao aquosa em cinza de carvao e zeolita de cinza leve de carvao / Adsorption of anionic dyes from aqueous solutions onto coal fly ash and zeolite synthesized from coal fly ash . 2010. Dissertacao (Mestrado) - Instituto de Pesquisas Energeticas e Nucleares - IPEN-CNEN/SP, Sao Paulo. 108 p. Orientador: Denise Alves Fungaro. DOI: 10.11606/D.85.2010.tde-29082011-102142

    Abstract: Cinza leve de carvão, resíduo gerado em usina termelétrica, foi usada para sintetizar zeólita por meio de tratamento hidrotérmico com solução de NaOH. A cinza leve (CL-2) e a zeólita sintética (ZM-2) que foi predominantemente identificada como hidroxi-sodalita foram utilizadas como adsorventes dos corantes aniônicos índigo carmina (IC) e reativo laranja 16 (RL16) de soluções aquosas. Nos processos de adsorção, os efeitos de tempo de contato, concentração inicial de corantes, pH, massa de adsorventes e temperatura foram avaliados. O estudo cinético de adsorção demonstrou que os resultados apresentaram melhor ajuste ao modelo de pseudo-segunda ordem e que adsorção de superfície e difusão intrapartícula participaram no mecanismo de adsorção. Os parâmetros termodinâmicos demonstraram que a adsorção foi espontânea em todos os processos de adsorção. Os processos de adsorção foram de natureza endotérmica para todos os sistemas, com exceção do sistema IC/ZM-2, em que foi exotérmico. Os dados de entropia mostraram a ocorrência do aumento da desordem na interface sólido/solução durante a adsorção em todos os sistemas, exceto novamente no IC/ZM-2, no qual se verificou a diminuição da desordem na interface. As isotermas de adsorção ajustaram-se à equação linear de Langmuir. As capacidades máximas de adsorção foram 1,48 mg/g para o sistema IC/CL-2; 1,13 mg/g para IC/ZM-2; 0,96 mg/g para RL16/CL-2 e 1,14 mg/g para RL16/ZM-2 à temperatura ambiente. O estudo de dessorção realizado com água, com soluções aquosas ácidas e com solução aquosa básica demonstrou ser ineficiente tanto para a recuperação dos corantes quanto para a regeneração dos adsorventes.

    Palavras-Chave: aqueous solutions; pollution; azo dyes; color; removal; adsorption; zeolites; fly ash; coal; kinetics; thermodynamics; x-ray diffraction; infrared spectra; spectroscopy

  • IPEN-DOC 26323

    OLIVEIRA, VITORIA A. ; CARVALHO, ELITA U. ; DURAZZO, MICHELANGELO ; SAKATA, SOLANGE K. ; GARCIA, RAFAEL H.L. . Adsorção líquida no siliceto de urânio. In: INTERNATIONAL NUCLEAR ATLANTIC CONFERENCE, October 21-25, 2019, Santos, SP. Proceedings... Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Energia Nuclear, 2019. p. 3193-3198.

    Abstract: O siliceto de urânio é um intermetálico usado como combustível nuclear na maioria dos reatores de pesquisa modernos, incluindo os reatores MB-01 e IEA-R1 do IPEN. Durante a produção, o material é submetido a um rigoroso controle de qualidade, que inclui análises de tamanho de partícula, densidade, caracterização e composição da fase cristalina. A quantificação das fases cristalinas presentes é realizada por difração de raios X (DRX) e refinamento dos dados usando o método Rietveld. No entanto, devido à alta absorção de raios X por esse material, no que diz respeito ao método de quantificação adotado, é muito importante reduzir o tamanho das partículas. Para este objetivo, um moinho vibratório dedicado é usado antes da análise de DRX, reduzindo o diâmetro médio das partículas para poucos micrômetros. Para evitar a oxidação das amostras, o processo de moagem ocorre em meio isopropanóico, o qual é seco posteriormente, em vácuo a 80 ºC. Porém, em muitos casos, verifica-se que as massas das amostras moídas são maiores do que as iniciais. Nesse sentido, esse trabalho propõe analisar a causa dessa diferença de massa. Granulometria a laser, termogravimetria (TG). Os resultados de TG sugerem que uma camada é fortemente adsorvida ao material, protegendo o pó de oxidação em temperaturas acima de 4000C.

    Palavras-Chave: adsorption; crystal structure; fuel elements; milling; particle size; thermal gravimetric analysis; uranium silicides; x-ray diffraction

  • IPEN-DOC 22396

    BERTOLINI, THARCILA C.R. ; ALCANTARA, RAQUEL R. ; IZIDORO, JULIANA de C. ; FUNGARO, DENISE A. . Adsorption of acid orange 8 dye from aqueous solution onto unmodified and modified zeolites. Orbital: The Electronic Journal of Chemistry, v. 7, n. 34, p. 1-11, 2015.

    Palavras-Chave: adsorption; dyes; aqueous solutions; zeolites; ashes; zeolites; x-ray diffraction; kinetics

  • IPEN-DOC 15522

    STEFANI, ROBERVAL; MAIA, ALESSANDRA S.; TEOTONIO, ERCULES S.; FELINTO, MARIA C.F.C. ; BRITO, HERMI F.. Afterglow phosphorescence of Basub(4)Alsub(10)Osub(19):Eusup(2+); Dysup(3+) prepared in air. In: BRAZILIAN MEETING INORGANIC CHEMISTRY, 13., 3-6 de setembro, 2006, Fortaleza, CE. Resumo... 2006.

    Palavras-Chave: afterglow; phosphorescence; barium; aluminium; europium; dysprosium; x-ray diffraction; rare earths

  • IPEN-DOC 20835

    OLIANI, WASHINGTON L. ; LIMA, LUIS F.C.P. de ; ROGERO, SIZUE O. ; RIELLA, HUMBERTO G.; LUGAO, ADEMAR B. ; PARRA, DUCLERC F. . AgNPs polypropylene gel films-thermal study and antibacterial activity. Journal of Thermal Analysis and Calorimetry, v. 119, n. 3, p. 1963-1970, 2015.

    Palavras-Chave: antimicrobial agents; silver; nanostructures; particles; polypropylene; gels; thin films; scanning electron microscopy; transmission electron microscopy; absorption spectroscopy; x-ray diffraction; cytology; toxicity

  • IPEN-DOC 10833

    COELHO, R.E.; LEAL NETO, R.M. ; CAMARGO, P.A.; AMBROZIO FILHO, F. . Al-Fe-X-Si(X=V or Nb) alloys powders prepared by high energy milling in an attritor mill. Journal of Metastable and Nanocrystalline Materials, v. 20-21, p. 207-212, 2004.

    Palavras-Chave: aluminium alloys; milling; powders; lasers; scanning electron microscopy; x-ray diffraction; heat treatments; mechanical properties; alloys

  • IPEN-DOC 17913

    CARMO, MARCELO; SANTOS, ANTONIO R. dos; SPINACE, ESTEVAM V. ; FUESS, HARTMUT; POCO, JOÃO G.R.; LINARDI, MARCELO . Alternative supports for catalysts preparation for low-temperature fuel cells using the alcohol reduction methods. Studies in Surface Science and Catalysis, v. 162, p. 1009-1016, 2006.

    Palavras-Chave: electrocatalysts; platinum; ruthenium; temperature range 0400-1000 k; fuel cells; alcohols; reduction; x-ray diffraction

  • IPEN-DOC 10057

    HERVOCHES, C.H.; MUCCILLO, R. . Alternative synthesis techniques for bimevox materials. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIENCIA DOS MATERIAIS, 15., 9-13 nov, 2002, Natal, RN. Anais... 2002. p. 1394-1399.

    Palavras-Chave: materials; synthesis; powders; x-ray diffraction; differential thermal analysis

  • IPEN-DOC 23161

    CUESTA, ANA; ICHIKAWA, RODRIGO U. ; LONDONO-ZULUAGA, DIANA; DE LA TORRE, ANGELES G.; SANTACRUZ, ISABEL; TURRILLAS, XAVIER; ARANDA, MIGUEL A.G.. Aluminum hydroxide gel characterization within a calcium aluminate cement paste by combined Pair Distribution Function and Rietveld analyses. Cement and Concrete Research, v. 96, p. 1-12, 2017. DOI: 10.1016/j.cemconres.2017.02.025

    Abstract: There are many commercially importantmultiphasematerialswhich contain amorphous phases, such as cement pastes, porcelains, glass-ceramics or pharmaceutical compounds. However, the analysis of amorphous phase(s) within cement matrices that contain high amounts of crystalline phase(s) is a challenge. Here, we report measurements of total scattering data quantitatively analyzed by Pair Distribution Function (PDF) minimization and Rietveld methodology to determine phase compositions including both amorphous and nanocrystalline phase contents in cement-related samples. Furthermore, laboratory techniques were used to complement the sample characterization. In addition to five reference materials, the main phase of calcium aluminate cements, CaAl2O4 hydrated at 50 °C to yield crystalline hydrogarnet, Ca3Al2(OH)12, (43wt%) and nanocrystalline aluminum hydroxide gel, Al(OH)3·0.1H2O (50wt%)was also investigated. The PDF analyses revealed that the hydroxide gel has a gibbsite local structurewith an average particle size close to 5 nm. PDF and Rietveld quantitative phase analysis results fully agree.

    Palavras-Chave: aluminium; hydroxides; gels; x-ray diffraction; calcium; aluminates; cements; garnets; amorphous state

  • IPEN-DOC 23142

    SCHMIDT, CHRISTIAN; YOKAICHYIA, FABIANO; DOGANGUZEL, NURDAN; FRANCO, MARGARETH K.K.D. ; CAVALCANTI, LEIDE P.; BROWN, MARK A.; ALKSCHBIRS, MELISSA I.; ARAUJO, DANIELE R. de; KUMPUGDEE-VOLLRATH, MONT; STORSBERG, JOACHIM. An abraded surface of doxorubicin-loaded surfactant-containing drug delivery systems effectively reduces the survival of carcinoma cells. v. 4, n. 3, 2016. DOI: 10.3390/biomedicines4030022

    Abstract: An effective antitumor remedy is yet to be developed. All previous approaches for a targeted delivery of anticancer medicine have relied on trial and error. The goal of this study was to use structural insights gained from the study of delivery systems and malignant cells to provide for a systematic approach to the development of next-generation drugs. We used doxorubicin (Dox) liposomal formulations. We assayed for cytotoxicity via the electrical current exclusion method. Dialysis of the samples yielded information about their drug release profiles. Information about the surface of the delivery systems was obtained through synchrotron small-angle X-ray scattering (SAXS) measurements. SAXS measurements revealed that Dox-loading yielded an abraded surface of our Dox liposomal formulation containing soybean oil, which also correlated with an effective reduction of the survival of carcinoma cells. Furthermore, a dialysis assay revealed that a higher burst of Dox was released from soybean oil-containing preparations within the first five hours. We conclude from our results that an abraded surface of Dox-loaded drug delivery system increases their efficacy. The apparent match between surface geometry of drug delivery systems and target cells is suggested as a steppingstone for refined development of drug delivery systems. This is the first study to provide a systematic approach to developing next-generation drug carrier systems using structural insights to guide the development of next-generation drug delivery systems with increased efficacy and reduced side effects.

    Palavras-Chave: drug delivery; doxorubicin; neoplasms; therapy; synchrotron radiation; small angle scattering; x-ray diffraction; in vitro; carcinomas

  • IPEN-DOC 27027

    REIS, A.G. ; REIS, D.A.P.; ABDALLA, A.J.; OTUBO, J.; COUTO, A.A. . An in situ high-temperature X-ray diffraction study of phase transformations in maraging 300 steel. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON DIFFUSION IN SOLIDS AND LIQUIDS, 12th, June 26-30, 2016, Split, Croatia. Abstract... DSL Conference, 2016. p. 95-95.

    Abstract: The phase transitions in the maraging 300 steel were studied using high temperature X-ray diffractometry. Maraging are ultra-high resistant steels with Ni-Co-Mo-Ti presenting a broad range of application in key areas such as nuclear and aerospace industries [1]. Prolonged high temperature exposure would lead to the formation of equilibrium austenite and ferrite phases [2]. Solution annealed maraging 300 steel was continuously heated at a 10 ºC/min rate from ambient temperature until 900 ºC and X-Ray measurements were done at 25, 400, 500, 600, 650, 700, 800 and 900 ºC. Dilatometric curve at the same heating rate and temperature range were performed and the results were compared with high temperature X-Ray diffraction. The martensite to austenite transformation and vice-versa could be detected by both techniques, although the precipitation could be detected only by dilatometry, associated to low volume of precipitates to be detected by X-Ray diffraction. The effect of austenite reversion at 600ºC was also studied after at 1, 2, 3 and 4 hour of exposure, showing that the amount of reverted austenite is proportional of time exposure at high temperature.

    Palavras-Chave: x-ray diffraction; maraging steels; temperature range 1000-4000 k; phase transformations; austenite

  • IPEN-DOC 23960

    REIS, ADRIANO G. dos ; REIS, DANIELI A.P.; ABDALLA, ANTONIO J.; COUTO, ANTONIO A. ; OTUBO, JORGE. An in situ high-temperature x-ray diffraction study of phase transformations in maraging 300 steel. Defect and Diffusion Forum, v. 371, p. 73-77, 2017. DOI: 10.4028/www.scientific.net/DDF.371.73

    Abstract: An in situ high-temperature X-ray diffraction (HTXRD) study in maraging 300 steel was carried out to study the martensite to austenite transformation and effect of time of exposure in the austenite reversion below austenite start temperature. Solution annealed materials were subjected to controlled heating-holding cycles. The first sample was heated at a rate of 10 ºC/min from room temperature to 800 ºC, showing that the microstructure is completely martensitic (α’110) until 600 ºC. From 650 ºC until 800 ºC, the microstructure is gradually changing from martensitic to austenitic, showed by the increasing peaks of γ111 and reducing peaks of α’110. At 800 ºC the microstructure is completely austenitic (γ111). Another sample was heated at 10 ºC/min from room temperature to 600 ºC and held for 4 hours. At 600 ºC, at 0 h time of exposure, only a martensitic peak was observed. An austenite peak can be observed after some time of exposure at this temperature. The volume fraction of austenite increased with increasing time of exposure at 600 ºC, reaching 50/50 volume fraction after 4 hours of exposure. XRD diffraction patterns for the same sample that was held for 4 hours at 600 ºC and then cooled down in air to room temperature showed the same intensity of austenite and martensitic peaks found in situ at 600 ºC for 4 hours (retained austenite), with the volume fraction of 50/50 of austenite and martensite phases. The HTXRD technique can be used to identify and quantify martensite to austenite transformation and austenite retention.

    Palavras-Chave: x-ray diffraction; maraging steels; temperature range 1000-4000 k; phase transformations; austenite

  • IPEN-DOC 26862

    GARCIA, PAULO R.A.F.; PRYMAK, OLEG; GRASMIK, VIKTORIA; PAPPERT, KEVIN; WLYSSES, WAGNER; OTUBO, LARISSA ; EPPLE, MATTHIAS; OLIVEIRA, CRISTIANO L.P.. An in situ SAXS investigation of the formation of silver nanoparticles and bimetallic silver–gold nanoparticles in controlled wet-chemical reduction synthesis. Nanoscale Advances, v. 2, n. 1, p. 225-238, 2020. DOI: 10.1039/c9na00569b

    Abstract: We present a study on the formation of silver (Ag) and bimetallic silver–gold (AgAu) nanoparticlesmonitored by in situ SAXS as well as by ex situ TEM, XRD and UV-vis analysis in a flow reactor at controlled reaction temperature. The formation mechanism of the nanoparticles is derived from the structural parameters obtained from the experimental data. The evolution of the average particle size of pure and alloyed nanoparticles shows that the particle growth occurs initially by a coalescence mechanism. The later growth of pure silver nanoparticles is well described by Ostwald ripening and for the alloyed nanoparticles by a process with a significantly slower growth rate. Additionally, the SAXS data of pure silver nanoparticles revealed two major populations of nanoparticles, the first one with a continuous crystal growth to a saturation plateau, and the second one probably with a continuous emergence of small new crystals. The particle sizes obtained by SAXS agree well with the results from transmission electron microscopy and X-ray diffraction. The present study demonstrates the capability of an in situ investigation of synthesis processes using a laboratory based SAXS instrument. Online monitoring of the synthesis permitted a detailed investigation of the structural evolution of the system.

    Palavras-Chave: nanoparticles; small angle scattering; x-ray diffraction; silver; bimetals; gold; monte carlo method; nanostructures; alloys

  • IPEN-DOC 10058

    ISHII, H.A.; AMBROZIO FILHO, F. ; LEAL NETO, R.M. . Analise comparativa do processo de obtencao de ligas do sistema Ag-Sn-Cu por processamento em moinhos vibratorio e horizontal de alta energia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIENCIA DOS MATERIAIS, 15., 9-13 nov, 2002, Natal, RN. Anais... 2002. p. 2960-2966.

    Palavras-Chave: milling; dentistry; mercury alloys; x-ray diffraction; scanning electron microscopy; mechanical properties; alloys

  • IPEN-DOC 16156

    LIMA, ROSELE C. de; BANCZEK, EVERSON do P.; COSTA, ISOLDA . Analise comparativa entre o fosfato tricationico comercial de Zn, Ni e Mn e o fosfato tricationico composto por Zn, Nb e Mn, aplicados em aco-carbono SAE 1005. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CORROSAO, 30.; INTERNATIONAL CORROSION MEETING, 2rd, 24-28 de maio, 2010, Fortaleza, CE. Proceedings... 2010.

    Palavras-Chave: zinc phosphates; niobium phosphates; manganese phosphates; nickel phosphates; carbon steels; coatings; surface treatments; corrosion resistance; comparative evaluations; scanning electron microscopy; x-ray diffraction

  • IPEN-DOC 07682

    SERNA, M.M. ; GALEGO, E. ; LANDGRAF, F.J.G.; LIMA, N.B. . Analise da macrotextura de um aco eletrico pelas tecnicas de difracao de raios-X e difracao de eletrons retroespalhados. In: TSCHIPTSCHIN, A.P. (Ed.); PADILHA, A.F. (Ed.); SCHON, C.G. (Ed.); LANDGRAF, F.J.G. (Ed.); GOLDENSTEIN, H. (Ed.); FALLEIROS, I.G.S. (Ed.); LIMA, N.B. (Ed.) WORKSHOP SOBRE TEXTURA E RELACOES DE ORIENTACAO: DEFORMACAO PLASTICA, RECRISTALIZACAO, CRESCIMENTO DE GRAO, 2001, Sao Paulo, SP. Anais... Sao Paulo: EPUSP, 2001, 2001. p. E16-E22.

    Palavras-Chave: steels; texture; x-ray diffraction; electron diffraction

  • IPEN-DOC 08880

    CARBONARI, M.J.; MARTINELLI, J.R. ; KOENIG JUNIOR, B.; FARIA JUNIOR, L.J.. Analise da osteointegracao de vidros niobofosfatos em tibias de coelho. In: TOFFOLI, S.M. (Org.) CONGRESSO BRASILEIRO DE CERAMICA, 46., 26-29 maio, 2002, Sao Paulo, SP. Anais... Sao Paulo: Associacao Brasileira de Ceramica, 2002, 2002.

    Palavras-Chave: biological materials; compatibility; implants; rabbits; tibia; glass; phosphate glass; niobium; histology; x-ray diffraction; thermal analysis; microstructure

  • IPEN-DOC 10452

    FANCIO, ELIZABETH . Analise das transformacoes de fase da hidroxiapatita em temperaturas altas por difracao de raios X com aplicacao do metodo de Rietveld. 2005. Tese (Doutoramento) - Instituto de Pesquisas Energeticas e Nucleares - IPEN/CNEN-SP, Sao Paulo. p. Orientador: Nelson Batista de Lima.

    Palavras-Chave: biological materials; compatibility; ceramics; calcium phosphates; apatites; heat treatments; phase studies; x-ray diffraction; mechanical properties; sintering; biological regeneration; bone tissues

A pesquisa no RD utiliza os recursos de busca da maioria das bases de dados. No entanto algumas dicas podem auxiliar para obter um resultado mais pertinente.

É possível efetuar a busca de um autor ou um termo em todo o RD, por meio do Buscar no Repositório , isto é, o termo solicitado será localizado em qualquer campo do RD. No entanto esse tipo de pesquisa não é recomendada a não ser que se deseje um resultado amplo e generalizado.

A pesquisa apresentará melhor resultado selecionando um dos filtros disponíveis em Navegar

Os filtros disponíveis em Navegar tais como: Coleções, Ano de publicação, Títulos, Assuntos, Autores, Revista, Tipo de publicação são autoexplicativos. O filtro, Autores IPEN apresenta uma relação com os autores vinculados ao IPEN; o ID Autor IPEN diz respeito ao número único de identificação de cada autor constante no RD e sob o qual estão agrupados todos os seus trabalhos independente das variáveis do seu nome; Tipo de acesso diz respeito à acessibilidade do documento, isto é , sujeito as leis de direitos autorais, ID RT apresenta a relação dos relatórios técnicos, restritos para consulta das comunidades indicadas.

A opção Busca avançada utiliza os conectores da lógica boleana, é o melhor recurso para combinar chaves de busca e obter documentos relevantes à sua pesquisa, utilize os filtros apresentados na caixa de seleção para refinar o resultado de busca. Pode-se adicionar vários filtros a uma mesma busca.

Exemplo:

Buscar os artigos apresentados em um evento internacional de 2015, sobre loss of coolant, do autor Maprelian.

Autor: Maprelian

Título: loss of coolant

Tipo de publicação: Texto completo de evento

Ano de publicação: 2015

Para indexação dos documentos é utilizado o Thesaurus do INIS, especializado na área nuclear e utilizado em todos os países membros da International Atomic Energy Agency – IAEA , por esse motivo, utilize os termos de busca de assunto em inglês; isto não exclui a busca livre por palavras, apenas o resultado pode não ser tão relevante ou pertinente.

95% do RD apresenta o texto completo do documento com livre acesso, para aqueles que apresentam o significa que e o documento está sujeito as leis de direitos autorais, solicita-se nesses casos contatar a Biblioteca do IPEN, bibl@ipen.br .

Ao efetuar a busca por um autor o RD apresentará uma relação de todos os trabalhos depositados no RD. No lado direito da tela são apresentados os coautores com o número de trabalhos produzidos em conjunto bem como os assuntos abordados e os respectivos anos de publicação agrupados.

O RD disponibiliza um quadro estatístico de produtividade, onde é possível visualizar o número dos trabalhos agrupados por tipo de coleção, a medida que estão sendo depositados no RD.

Na página inicial nas referências são sinalizados todos os autores IPEN, ao clicar nesse símbolo será aberta uma nova página correspondente à aquele autor – trata-se da página do pesquisador.

Na página do pesquisador, é possível verificar, as variações do nome, a relação de todos os trabalhos com texto completo bem como um quadro resumo numérico; há links para o Currículo Lattes e o Google Acadêmico ( quando esse for informado).

ATENÇÃO!

ESTE TEXTO "AJUDA" ESTÁ SUJEITO A ATUALIZAÇÕES CONSTANTES, A MEDIDA QUE NOVAS FUNCIONALIDADES E RECURSOS DE BUSCA FOREM SENDO DESENVOLVIDOS PELAS EQUIPES DA BIBLIOTECA E DA INFORMÁTICA.

O gerenciamento do Repositório está a cargo da Biblioteca do IPEN. Constam neste RI, até o presente momento 20.950 itens que tanto podem ser artigos de periódicos ou de eventos nacionais e internacionais, dissertações e teses, livros, capítulo de livros e relatórios técnicos. Para participar do RI-IPEN é necessário que pelo menos um dos autores tenha vínculo acadêmico ou funcional com o Instituto. Nesta primeira etapa de funcionamento do RI, a coleta das publicações é realizada periodicamente pela equipe da Biblioteca do IPEN, extraindo os dados das bases internacionais tais como a Web of Science, Scopus, INIS, SciElo além de verificar o Currículo Lattes. O RI-IPEN apresenta também um aspecto inovador no seu funcionamento. Por meio de metadados específicos ele está vinculado ao sistema de gerenciamento das atividades do Plano Diretor anual do IPEN (SIGEPI). Com o objetivo de fornecer dados numéricos para a elaboração dos indicadores da Produção Cientifica Institucional, disponibiliza uma tabela estatística registrando em tempo real a inserção de novos itens. Foi criado um metadado que contém um número único para cada integrante da comunidade científica do IPEN. Esse metadado se transformou em um filtro que ao ser acionado apresenta todos os trabalhos de um determinado autor independente das variáveis na forma de citação do seu nome.

A elaboração do projeto do RI do IPEN foi iniciado em novembro de 2013, colocado em operação interna em julho de 2014 e disponibilizado na Internet em junho de 2015. Utiliza o software livre Dspace, desenvolvido pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). Para descrição dos metadados adota o padrão Dublin Core. É compatível com o Protocolo de Arquivos Abertos (OAI) permitindo interoperabilidade com repositórios de âmbito nacional e internacional.

1. Portaria IPEN-CNEN/SP nº 387, que estabeleceu os princípios que nortearam a criação do RDI, clique aqui.


2. A experiência do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN-CNEN/SP) na criação de um Repositório Digital Institucional – RDI, clique aqui.

O Repositório Digital do IPEN é um equipamento institucional de acesso aberto, criado com o objetivo de reunir, preservar, disponibilizar e conferir maior visibilidade à Produção Científica publicada pelo Instituto, desde sua criação em 1956.

Operando, inicialmente como uma base de dados referencial o Repositório foi disponibilizado na atual plataforma, em junho de 2015. No Repositório está disponível o acesso ao conteúdo digital de artigos de periódicos, eventos, nacionais e internacionais, livros, capítulos, dissertações, teses e relatórios técnicos.

A elaboração do projeto do RI do IPEN foi iniciado em novembro de 2013, colocado em operação interna em julho de 2014 e disponibilizado na Internet em junho de 2015. Utiliza o software livre Dspace, desenvolvido pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). Para descrição dos metadados adota o padrão Dublin Core. É compatível com o Protocolo de Arquivos Abertos (OAI) permitindo interoperabilidade com repositórios de âmbito nacional e internacional.

O gerenciamento do Repositório está a cargo da Biblioteca do IPEN. Constam neste RI, até o presente momento 20.950 itens que tanto podem ser artigos de periódicos ou de eventos nacionais e internacionais, dissertações e teses, livros, capítulo de livros e relatórios técnicos. Para participar do RI-IPEN é necessário que pelo menos um dos autores tenha vínculo acadêmico ou funcional com o Instituto. Nesta primeira etapa de funcionamento do RI, a coleta das publicações é realizada periodicamente pela equipe da Biblioteca do IPEN, extraindo os dados das bases internacionais tais como a Web of Science, Scopus, INIS, SciElo além de verificar o Currículo Lattes. O RI-IPEN apresenta também um aspecto inovador no seu funcionamento. Por meio de metadados específicos ele está vinculado ao sistema de gerenciamento das atividades do Plano Diretor anual do IPEN (SIGEPI). Com o objetivo de fornecer dados numéricos para a elaboração dos indicadores da Produção Cientifica Institucional, disponibiliza uma tabela estatística registrando em tempo real a inserção de novos itens. Foi criado um metadado que contém um número único para cada integrante da comunidade científica do IPEN. Esse metadado se transformou em um filtro que ao ser acionado apresenta todos os trabalhos de um determinado autor independente das variáveis na forma de citação do seu nome.